Os peões e as bicicletas não precisam de semáforos

@ Menos Um Carro | 30/10/2014 às 11:19

Temas: [ mobilidade ] [ bicicleta ] [ ditadura do automóvel ] [ tráfego ] [ bicicultura ] [ semáforos ]

Esta foto dum cruzamento* na Holanda tem muito para nos ensinar sobre a gestão da mobilidade urbana, e o transtorno que causam os automobilistas** nas restantes pessoas.
Nos pontos A (onde se cruzam peões com peões), B (peões e bicicletas) e C (bicicletas e bicicletas) não é necessário qualquer semáforo ou regulamentação complexa. O ponto A é óbvio, mas B e C não são óbvios para quem nunca viveu numa cidade dominada pela bicicleta. Apesar de ser um cruzamento com tantos peões, como bicicletas e automóveis (passei lá muitas vezes), em B basta o bom-senso e em C basta uns triângulos no chão a indicar quem deve dar prioridade.
Os pontos D (carro com carro), E (carro com bicicleta) e F (peão com carro) têm algo em comum: envolvem carros e por isso, e apenas por isso, necessitam de semáforos. Os semáforos são assim uma imposição dos automobilistas ao restantes utentes da via.

Pensa nisso.

Por cá, estamos tão agarrados ao paradigma automóvel, que nem imaginamos que possa haver uma diferença entre gerir cruzamentos com bicicletas, e cruzamento com automóveis. Isso é claro na incompreensão que há em relação à maior responsabilização que um automobilista deve ter na cidade face a um ciclista, à possibilidade de haver ruas com dois sentidos para as bicicletas mas apenas um para os automóveis, ao diferente significado que um sinal vermelho deve ter para uns e outros, etc. Nada melhor para o mostrar do que esta foto, de uma "ciclovia" portuguesa com passagens de peões de 50m em 50m, algo inexistente na Holanda. A foto foi tirada no Barreiro, mas existe noutros locais como em Espinho, e o mesmo modo de pensar nas "ciclovias" de Lisboa.

IMG_20141026_155527.jpg
*Este cruzamento não é uma excepção. Todos os cruzamentos na Holanda são assim.
**Os transportes públicos (que por levarem muitas pessoas em cada veículo) também podem conviver facilmente com o peão como abordei nesta posta.

 

Adenda: este vídeo da hora de ponta em Utreque (Holanda), mostra bem como é tão fácil conciliar dezenas de bicicletas a cruzarem-se.

 

-----------------------------

Em 2013 foi assim

miguelbarroso @ Lisbon Cycle Chic | 29/10/2014 às 17:39

Temas: [ Uncategorized ] [ bicicleta ] [ bicicultura ] [ Cycle Chic ] [ Festival da Bicicleta Solidária ] [ Festival da Bicicleta Solidária 2013 ] [ girl ] [ Lisboa ] [ sol ] [ tejo ] [ Terreiro do Paço ]

Aqui ficam, quase um ano depois, as fotos do Festival da Bicicleta Solidária de 2013.

DSC_3557

DSC_3622 DSC_3630

DSC_3632 DSC_3637 DSC_3654

DSC_3643

DSC_3656 DSC_3665 DSC_3668

DSC_3694

DSC_3717 DSC_3723 DSC_3739

DSC_3757 DSC_3764

DSC_3768

DSC_3752 DSC_3796 DSC_3803

DSC_3831 DSC_3801

DSC_3854

DSC_3897 DSC_3887

DSC_3902 DSC_3912 DSC_3927

DSC_3946 DSC_3945 DSC_3963

DSC_3977

DSC_3968 DSC_3999

DSC_4012 DSC_4017 DSC_4024

DSC_4040

DSC_4310 DSC_3574

DSC_4265

 

Dia 9 de Novembro esperamos por todos vocês, para que o IV Festival da Bicicleta Solidária seja ainda mais espetacular!

-----------------------------

de uma hora para outra

paulofski @ na bicicleta | 27/10/2014 às 12:55

Temas: [ motivação ] [ bicicultura ] [ dicas ] [ fotografia ] [ noite tripeira ] [ opinião ] [ outras coisas ] [ penso eu de que... ]

lusco fusco
Se os seres humanos não tivessem baseado a rotina das suas vidas de acordo com o tempo não teríamos problemas associados ao dia e à noite. Viveríamos as nossas vidas de acordo com os nossos próprios ritmos, quando comer, quando dormir, quando acordar, quando sair para trabalhar… Eu prefiro o horário de verão, quando os dias são mais longos e iluminados, mas a Natureza guia-nos à luz da sua lei e só nos resta estar em sintonia com ela. Apesar de ainda estar algum calor, lentamente, vão sendo deixados para trás os grandes dias de verão e para manter o máximo de luminosidade entre o nascer e o pôr-do-sol lá tivemos novamente de atrasar os ponteiros dos relógios. O ciclo natural do tempo lembra-nos que estamos novamente a caminhar para o Inverno. Infelizmente, no mundo moderno, todos vivemos as nossas vidas em uníssono. É uma questão de sobrevivência. Somos governados por um regime de contagem do tempo. Sem a sincronização da sociedade jamais teriam inventado os despertadores, cujo único propósito é nos acordar artificialmente para o início do dia. O ruído nos impulsiona para a acção, arrasta-nos para fora da cama, muitas vezes quando ainda está escuro lá fora, porque o relógio diz que é “de manhã.”! Assim, podemos enganar os nossos corpos e pensar que vivemos em harmonia com a ordem natural das coisas.

Um ciclista experiente está preparado para pedalar na escuridão. Quando os seus trajectos, matinais ou do fim do dia, são feitos na escuridão, recorre à iluminação artificial para o ajudar a clarear o seu caminho, impedir de andar sobre destroços ou desviar de obstáculos que surjam no seu caminho. Quando a iluminação das ruas é forte o suficiente para enxergarmos bem, mesmo assim, para nos proteger de coisas à espreita em cada cruzamento, dá jeito usarmos uma vestimenta reflexiva que nos torne mais atraentes, para que os automobilistas e peões nos detectem e identifiquem. Pedalar na escuridão absoluta também pode ser misterioso e ofuscante. Não desgosto, só me torna mais lento e cuidadoso, porque eu quero descortinar o piso onde coloco as rodas, ver bem o que se passa à minha frente, adaptando a minha velocidade à minha capacidade visual. Depois de um tempo os olhos ajustam-se à visão nocturna e fico mais alerta. Os detalhes estão escondidos e a iluminação escassa lança sombras amorfas, mas pedalar à noite tira-me o sono. E enquanto o Outono me oferecer umas horas extras de luminosidade, vou aproveitar o bom tempo. Afinal é só esperar oito semanas para o solstício de inverno e voltar a ver os dias a alongar, para no último domingo de Março voltarmos a adiantar os relógios em sessenta minutos.


-----------------------------

Bicicleta Solidária está de volta

miguelbarroso @ Lisbon Cycle Chic | 27/10/2014 às 11:40

Temas: [ Uncategorized ] [ bicicleta ] [ bicicultura ] [ Cycle Chic ] [ Festival da Bicicleta Solidária ] [ Festival da Bicicleta Solidária 2014 ] [ Lisboa ] [ Terreiro do Paço ]

Já na sua 4ªedição, dia 9 de Novembro vamos ter mais um Festival da Bicicleta Solidária, organizado pela FPCUB.

E claro, inserido na programação, teremos o passeio bem no espírito Cycle Chic:

festival solidario_2014_CARTAZ

E o que diferencia um passeio Cycle Chic? O seu carácter não desportivo: será um passeio a um ritmo bastante calmo e descontraído, num percurso acessível a todos, dos 8 aos 80 (aliás, já tivemos crianças de 5 anos a fazer passeios completos de 12km, pois o ritmo é mesmo descontraído). Não há qualquer código de vestuário, mas dadas as características do passeio, os participantes podem ir vestidos normalmente, dispensando-se assim qualquer equipamento desportivo!


O percurso será mais uma vez bastante fácil, e terá menos de 10km – para os menos habituados a estes passeios, não se assustem pois será mesmo acessível a todos!

Inscrições GRATUITAS mas obrigatórias em http://www.fpcub.pt/2014/10/iv-festival-da-bicicleta-solidaria-9-de-novembro onde podem saber mais sobre o festival, e quais as atividades que por lá vão acontecer.

Já sabem, dia 9 de Novembro, Domingo, concentração pelas 10 horas no Terreiro do Paço. E não se esqueçam de trazer géneros alimentares para a recolha que será feita no festival.

(PS. ainda estou em falta com as fotos do passeio do ano passado… amanhã ou depois já aqui vão aparecer!)

 

-----------------------------

Livros - Qual a melhor mensagem que posso publicar sobre um livro de bicicletas? Qual é a vossa opinião? Quais os vossos interesses?

Bruno BA @ Bicycling | 26/10/2014 às 18:30

Temas: [ bicicultura ] [ book ] [ cycling book ] [ livro ] [ oferta ]

Publiquei aqui e aqui duas mensagens sobre dois livros, um sobre a aventura que pode ser viajar pelo mundo de bicicleta (li-o na versão Kindle, pelo que não juntei quaisquer fotos do mesmo) e outro, mais utilitário, que é um manual de reparação e manutenção.

Foram as primeiras mensagens que publiquei sobre livros relacionados com bicicletas, pelo que escrevi sobre aquilo que achei que teria mais interesse para vós, leitores.

Nessa medida, reparti os artigos em duas partes, uma relativa ao autor e outra relativa ao livro, mas ambas muito curtas (curtas demais?).

Tenho alinhavados mais seis livros sobre bicicletas que pretendo analisar aqui para vós. Mas gostaria que me dessem algum feed-back sobre aquilo que mais gostariam de ver publicado sobre um livro relacionado com bicicletas.

Agradecia que enviassem as vossas sugestões, para que eu possa adequar as futuras publicações às mesmas, para o e-mail bicycling2012@gmail.com até ao dia 30 de Novembro de 2014.

Após essa data, oferecerei um livro ao autor da mensagem que me tenha sido mais útil e que eu considere mais interessante (enviarei a minhas expensas, para qualquer parte do mundo, através da DHL ou outra transportadora). Também tinha a intenção de publicar essa mensagem seleccionada; naturalmente, apenas com a permissão do autor da mesma. Faço notar que isto não é um concurso nem tem qualquer pretensão de o ser, pelo que a única garantia que eu posso dar é que tentarei ser o mais justo possível na escolha da mensagem.

Trata-se meramente de uma oferta que eu pretendo fazer, de um livro que adquiri e que pretendo oferecer (é um livro novo).

Nessa medida, agradecia que quando me enviassem o e-mail com as vossas sugestões, me informassem desde logo se pretendem autorizar a publicação da mesma ou não (apenas será publicada a mensagem seleccionada e não o autor ou qualquer dado pessoal do mesmo).

O livro que eu enviarei para o autor da referida mensagem será o De Bicicleta - Antologia de Textos, Relógio D'Água, Lisboa, 2012, em Português (lamento não poder oferecer um livro na versão da língua nativa dos meus leitores da China, da Colômbia, do Uruguai, da Dinamarca, da Espanha, dos Estados Unidos da América, da França, do Reino Unido, da Rússia ou da Ucrânia, mas prometo que farei todos os possíveis para vos enviar o livro que consta da foto que junto a esta mensagem para a sua morada).

_MG_6495%5B1%5D.JPG

Desde já vos agradeço a atenção e a boa vontade.





-----------------------------

quando o sol se deita

paulofski @ na bicicleta | 23/10/2014 às 17:45

Temas: [ o ciclo perfeiro ] [ bicicultura ] [ bike to home ] [ devaneios a pedais ] [ fotografia ] [ fotopedaladas ] [ mar ] [ motivação ] [ o sol ] [ Porto ] [ Sua Alteza ]

Dizer a um tripeiro que não há pôr-do-sol mais belo que o nosso é pedir um palavrão e um sorriso. Quem o diz não é do norte, carago! Indiferente a esta questão cósmica, do pôr-do-sol portuense e dos rigores deste outono travestido de verão, aqui o menino idolatra a sua bicicleta, a boa vida e a calma vastidão do oceano. É o melhor refugio que encontro para o bulício enervado da urbanidade. Aproveito cada momento.

pôr do sol


-----------------------------

tertúlias do dia: Mobilidade, Porto e Braga

paulofski @ na bicicleta | 23/10/2014 às 9:50

Temas: [ divulgação ] [ ambiente ] [ bicicultura ] [ Braga ] [ ciclismo urbano ] [ mobilidade ] [ motivação ] [ noticia ] [ Porto ] [ te ]

Conversas sobre ambiente 2014: Que mobilidade temos e qual a que ambicionamos?

Serralves, 23 de Outubro de 2014 17h00 – 19h30 Sala Multiusos – Museu de Arte Contemporânea – Fundação de Serralves, Porto.

“Ao longo do nosso dia-a-dia somos constantemente confrontados com a necessidade de nos deslocarmos para algum lugar, seja para o trabalho ou escola, ou mesmo por uma questão de lazer. A escolha da forma a optar para realizar essas mesmas deslocações encontra-se dependente não só das infra-estruturas, condições e meios existentes no local como também de outros fatores que influenciam a nossa escolha, desde a informação disponível às condicionantes físicas e à própria educação e sensibilização de cada um.

Qual é a realidade da rede de mobilidade do nosso país? De que forma a educação poderá melhorar a estratégia ao nível da mobilidade sustentável? A nível individual, o que cada um de nós pode fazer em termos de mobilidade para minimizar o seu impacte ambiental e promover a sustentabilidade?

Estas e outras questões serão abordadas neste debate, procurando uma reflexão alargada e participativa.”

Oradores convidados desta Conversa sobre Ambiente:
– Mário Alves (Instituto Superior Técnico da Universidade Técnica de Lisboa)
– Joaquim Cavaleiro (Autoridade Metropolitana de Transportes do Porto)
– Ricardo Cruz (MUBi – Associação para a Mobilidade Urbana em Bicicleta)
Moderadora: Arminda Deusdado (Farol de Ideias, Coordenadora do programa Biosfera)

Acesso: gratuito, mediante inscrição prévia para apoio.se@serralves.pt

Fonte: www.serralves.pt

Cartaz disponível aqui

Tertúlia sobre Mobilidade no Centro Histórico de Braga

“Realiza-se hoje, 5ª feira, dia 23 de outubro, às 21h00, no Edifício GNRation, uma tertúlia dedicada ao tema “Mobilidade no Centro Histórico de Braga: Algumas Propostas”, organizada pela APRUPP – Associação Portuguesa para a Reabilitação Urbana e Proteção do Património.

É um dos temas mais marcantes da atualidade, e que tem tudo a ver com o que por aqui discutimos – a importância da mobilidade, sobretudo da mobilidade sustentável, para a melhoria da qualidade de vida e do bem estar das pessoas que vivem ou trabalham nesta cidade. Em representação do Braga Ciclável, estará presente como orador Mário Meireles. O painel de participantes, que será moderado por Daniel Miranda (APRUPP) inclui também Luís Macedo (CIM-Cávado), Alberto Manuel Miranda (FEUP), Miguel Bandeira (Vereador da Câmara Municipal de Braga) e José António Batista da Costa (TUB).”

Fonte bragaciclavel.blogspot.pt


-----------------------------

A não perder: tertúlia sobre Mobilidade no Centro Histórico de Braga

Victor Domingos @ Braga Ciclável | 22/10/2014 às 23:08

Temas: [ APRUPP ] [ bicicultura ] [ Centro histórico de Braga ] [ debates ] [ Eventos ] [ Miguel Bandeira ] [ Mobilidade ] [ Mário Meireles ] [ Reabilitação urbana ] [ TUB ]

Realiza-se amanhã, 5ª feira, dia 23 de outubro, às 21h00, no Edifício GNRation, uma tertúlia dedicada ao tema “Mobilidade no Centro Histórico de Braga: Algumas Propostas", organizada pela APRUPP - Associação Portuguesa para a Reabilitação Urbana e Proteção do Património.

É um dos temas mais marcantes da atualidade, e que tem tudo a ver com o que por aqui discutimos - a importância da mobilidade, sobretudo da mobilidade sustentável, para a melhoria da qualidade de vida e do bem estar das pessoas que vivem ou trabalham nesta cidade. Em representação do Braga Ciclável, estará presente como orador Mário Meireles. O painel de participantes, que será moderado por Daniel Miranda (APRUPP) inclui também Luís Macedo (CIM-Cávado), Alberto Manuel Miranda (FEUP), Miguel Bandeira (Vereador da Câmara Municipal de Braga) e José António Batista da Costa (TUB). Programa da Tertúlia sobre Mobilidade no Centro Histórico de Braga

Como o espaço na sala é limitado, é necessário fazer inscrição, utilizando o formulário que está na página do evento.

Inscrevam-se e apareçam. Vai valer a pena!

-----------------------------

no regresso a casa

paulofski @ na bicicleta | 22/10/2014 às 9:20

Temas: [ o ciclo perfeiro ] [ bicicultura ] [ ciclismo urbano ] [ devaneios a pedais ] [ fotografia ] [ motivação ] [ outras coisas ] [ Parque da Cidade ] [ Porto ] [ Sua Alteza ]

O minimalismo envolvido em usar uma bicicleta para o transporte permite a liberdade de parar, em qualquer lugar, desfrutar deste oásis de natureza no meio da cidade, e fazer parte do ambiente, do silêncio e da cacofonia das coisas naturais. Aproveito cada momento.

no parque


-----------------------------

na bicicleta

paulofski @ na bicicleta | 21/10/2014 às 9:35

Temas: [ o ciclo perfeiro ] [ bicicultura ] [ bike to work ] [ ciclistas urbanos do Porto ] [ devaneios a pedais ] [ fotopedaladas ] [ mobilidade ] [ motivação ] [ Porto ] [ Sua Alteza ]

Cada dia é uma experiência, um sorriso, uma renovação, pensamentos para nos levar e memórias para durar. Hoje é um vislumbre do passado e esperança para o futuro. Aproveito cada momento.

be happy


A mostrar posts 1 a 10 de 471 | « Anteriores | Próximos » | 5, 10, ou 20 de cada vez.


Creative Commons License

O conteúdo deste site está sob uma licença Creative Commons BY-NC-SA.
Os direitos do conteúdo externo apresentado neste site são os definido pelos autores.
A apresentação de conteúdo externo neste site é feita com a autorização dos autores.

:-}
v13.09
Powered by HTML Purifier