Dormir no topo de um monte: double check!

@ Viagens a Pedal | 23/07/2017 às 0:10

Temas: [ campismo ] [ microaventuras ] [ relatos ] [ s24o ] [ azambuja ] [ bicicultura ] [ bivaque ] [ Cartaxo ] [ Herdade da Hera ]

“E que tal dormir no topo de um monte?” Foi esta a pergunta para Julho pensando no nosso “year of microadventure

No início de Julho regressámos à Herdade da Hera, em Manique do Intendente, na Azambuja, para nova S24O. Mas se da outra vez levámos tenda e acampámos a meio da encosta (e apanhámos uma ventania nesse dia), desta vez levámos os bivaques e fomos para o topo.

A noite estava calma, sem vento, e a temperatura estava óptima.

dormir no topo de um monte

Para mantermos um certo isolamento de criaturas rastejantes, dormimos com uma rede mosquiteira a “tapar” a abertura do bivaque. Funcionou muito bem, mesmo sem o truque de a combinar com um boné de pala.

A Mutthilda é o nosso despertador.

mutthilda

Tomar o pequeno-almoço “na cama”, e com esta vista, é um luxo. 🙂

tomar o pequeno almoço no topo de um monte

Para chegar aqui vindos de Lisboa apanhamos o comboio Regional (cerca de 1h de viagem), e depois pedalamos cerca de 1h30 para fazer os 15 Km de caminho. A paisagem é campestre e verde, e apanhamos pouco trânsito automóvel (pelo menos a um domingo!).

panorama na Herdade da Hera

Um sítio bike-friendly e dog-friendly, onde se pode acampar.

bicicletas e cães na Herdade da Hera

Da próxima vez procuraremos uma rota alternativa de regresso, e adicionamos isto depois ao leque de passeios da Escola de Bicicleta da Cenas a Pedal. 🙂

Fazer uma S24O, ou uma microaventura, não tem que ser nada complicado. Mesmo um programa simples é revigorante!

O conteúdo Dormir no topo de um monte: double check! aparece primeiro em Viagens a Pedal.

-----------------------------

III Braga Cycle Chic desafia bracarenses a pedalar pela mobilidade inclusiva no dia 16 de Setembro

@ Braga Ciclável | 22/07/2017 às 12:00

Temas: [ Opinião ] [ bicicultura ] [ Braga Cycle Chic ] [ Cycle Chic ] [ Diário do Minho ] [ Eliana Freitas ] [ NEE'd for Dance ] [ passeio ] [ Semana da Mobilidade ]

A III edição do Braga Cycle Chic, integrada na semana da mobilidade, promovida pela Câmara Municipal de Braga, está agendada para o dia 16 de Setembro, pelas 14h30, na Praça da República. O evento, organizado pela Associação Braga Ciclável, pretende mostrar que é “possível pedalar na cidade usando roupa do dia-a-dia”.

Este ano o evento conta com uma parceria e participação muito especiais. O NEE’d for Dance, é um projeto de carácter solidário, com a finalidade de estimular e trabalhar competências motoras, cognitivas, comunicativas, afetivas e emocionais, de bebés, crianças, jovens e adultos com necessidades especiais e assim demonstrarem todo o seu potencial à sociedade. Portanto, quem melhor para nos mostrar o caminho longo a percorrer no que respeita a mobilidade inclusiva?

A participação é gratuita, mas poderá fazer um donativo para que o NEE’d for Dance possa continuar a crescer e levar esta oportunidade a cada vez mais pessoas com deficiência. Porque acreditamos que podemos mudar o mundo, pedalada a pedalada, acreditamos também que podemos mudar o mundo ajudando o próximo.

Uma tarde a passear com estilo, de bicicleta pelo centro histórico de Braga, sempre na zona pedonal, com paragens em vários pontos da cidade, é a proposta da Associação para celebrar a bicicleta como meio de transporte, após cerca de 250 pessoas terem marcado presença na segunda edição. Para quem não tiver bicicleta, poderá reservar uma antecipadamente.

A Associação Braga Ciclável assume-se como uma associação de defesa da mobilidade em bicicleta. Tem como objetivo melhorar as condições para o uso da bicicleta como meio de transporte, de forma correta, regrada e consciente, tendo sempre presente todos os benefícios para a saúde, a economia, o ambiente e a sustentabilidade da cidade.


(Artigo originalmente publicado na edição de 22/07/2017 do Diário do Minho)

-----------------------------

ciclofilia [141] José Luis Macías a sus 87 años, corre, práctica el ciclismo y canta

@ na bicicleta | 21/07/2017 às 14:52

Temas: [ ciclofilia ] [ benefícios das pedaladas ] [ bicicultura ] [ bons exemplos ] [ ciclistas no mundo ] [ coisas que vejo ] [ México ] [ motivação ] [ outras coisas ] [ partilha ] [ testemunho ] [ velhos são os trapos ] [ video ]

“Con el buen humor que lo caracteriza Don José Luis Macías Briceño, explica que el tener buena salud lo motiva a recorrer todos los días en su bicicleta los caminos de Colima de la colonia Fátima donde vive hasta Altozano en Cuauhtémoc, solo por el gusto de pasear.”

 


-----------------------------

fotocycle [211] a chuva não atrapalha

@ na bicicleta | 19/07/2017 às 9:21

Temas: [ fotocycle ] [ à chuva ] [ bicicultura ] [ bike to work ] [ ciclismo urbano ] [ fotografia ] [ mobilidade ] [ motivação ] [ outras coisas ] [ penso eu de que... ]

Definitivamente, precisávamos desta chuva. A precipitação é ligeira, porém depois de várias semanas de tempo seco, de calor intenso e condições propícias aos incêndios, que têm devastado sobretudo o interior do país, esta chuvinha é uma bênção.

Assim, numa manhã de verão como a de hoje, quando a névoa cobre a atmosfera, o ar está húmido, as estradas estão molhadas, eu estarei lá fora, preparado para pedalar à chuva.


-----------------------------

uma iluminada reflexão

@ na bicicleta | 17/07/2017 às 14:59

Temas: [ uma boa ideia ] [ bicicultura ] [ boas ideias ] [ ciclismo ] [ ciclismo urbano ] [ ciclistas urbanos do Porto ] [ cicloturismo ] [ fotografia ] [ motivação ] [ penso eu de que... ] [ pneus ] [ Porto ] [ reflexão ] [ segurança rodoviária ]

Sobretudo nestas aprazíveis noites de verão, sabe bem sair de bicicleta para ir tomar café com os amigos, numas pedalas mais demoradas, simplesmente para sentir a brisa fresca na cara. À noite nem todos os ciclistas são parvos, como tal precisamos de redobrar cuidados quanto à nossa visibilidade. Para se circular de bicicleta à noite, a lei obriga a equipar a bicicleta com uma luz de presença à frente e outra à retaguarda, bem como ter um par de reflectores em ambas as rodas! Pois bem, plásticos brilhantes e coloridos presos aos raios é coisa que também não gosto. Os pneus com a faixa reflectora lateral são os mais adequados para que sejamos vistos pelos automobilistas no meio da escuridão. Para andar na cidade, viajar e treinar de noite, existem variadíssimas opções para todos os gostos e bolsos, pneus muito duráveis, resistentes a furos e capazes de nos estragarem a bela da fotografia!


-----------------------------

passe a publicidade [82] Tripla

@ na bicicleta | 14/07/2017 às 10:30

Temas: [ bicicleta ] [ 1 carro a menos ] [ bicicletas bué de fixes ] [ bicicultura ] [ boas ideias ] [ coisas que inventam ] [ coisas que vejo ] [ filme ] [ motivação ] [ outras coisas ] [ passe a publicidade ]

“TRIPLA [patent pending] is a bike with a low platform between the pedals, creating a new third loading area for goods and people. TRIPLA is:
– Compact. It is 160 cm long, with 20” wheels, connection for folding handlebar, fits easily in your car.
– Spacious. Besides front and rear rack, it has a third loading area on a platform between the pedals.
– Strong and stable. It has the classic “diamond frame”, just lowered.
TRIPLA will be available in two versions: “light” for a max. loading capacity of 130 kg, and “professional” for max. 200 kg. Both will also be available in the electric version.”


-----------------------------

motivações e considerações

@ na bicicleta | 12/07/2017 às 12:06

Temas: [ motivação ] [ 1 carro a menos ] [ bicicultura ] [ bike to work ] [ ciclismo urbano ] [ ciclistas urbanos do Porto ] [ devaneios apeados ] [ fotografia ] [ mobilidade ] [ outras coisas ] [ penso eu de que... ] [ Porto ] [ turismo ]

Os ciclistas sempre andaram por aí, sempre palmilharam as ruas, descendo e subindo, apesar de muita boa gente achar que subir custa. É que querendo não custa assim tanto! O uso da bicicleta faz parte da cidade e é uma actividade importante para o processo evolutivo da mobilidade urbana, que contribui para a qualidade de vida e consolida uma mudança cultural. Quanto à mudança cultural, é importante ressalvar que a populaça está a consciencializar-se que a bicicleta humaniza a cidade. As pessoas reclamam o espaço urbano, que é seu por direito, exercendo a sua cidadania e contribuindo para uma cidade melhor.

Efectivamente, num curto passeio pela cidade de regresso a casa após o trabalho dou conta do quanto este movimento mudou a cidade. Não são apenas alguns tripeiros que aos poucos tiram a bicicleta do armário e pedalam. São muitos os turistas que calcam os pedais em bicicletas alugadas e circulam pela cidade, dando o exemplo que afinal o Porto é perfeitamente ciclável. É necessário que os gestores municipais percebam isso e renovem as prioridades. Melhorias nos pavimentos, mais circuitos cicláveis, equipamentos adequados ao estacionamento, promoção de eventos, são apenas algumas propostas. Um plano que eu saiba ainda inexistente é o de viabilizar a implantação de um sistema de partilha de bicicletas públicas. Estas são apenas algumas acções que visam sobretudo motivar a malta a deixar o carro na garagem e trocá-lo pela bicicleta com mais frequência.

Volto a insistir na permanente consciencialização dos automobilistas para a nova realidade. Aos que conduzem, aproveito para uma breve reciclagem: quando entrar no seu carro para fazer os seus afazeres lembre-se que, certamente, em menos de cinco minutos vai encontrar um ciclista a caminho do trabalho, da escola, a fazer compras ou a curtir os belos recantos naturais da cidade. E quando o ciclista circular à sua frente, não se esqueça de reduzir a velocidade e manter a distância mínima de metro e meio ao ultrapassá-lo. Ao adoptar estas simples precauções, estará não só a respeitar o ciclista como o tornará visível aos restantes utilizadores da via. Ao mesmo tempo, estará a contribuir para melhorar a mobilidade urbana e fazer da sua cidade uma cidade mais amigável, mais moderna e mais segura para todos.


-----------------------------

O Livro da Bicicleta

@ Lisbon Cycle Chic | 11/07/2017 às 16:36

Temas: [ Uncategorized ] [ bicicleta ] [ bicicultura ] [ Livro ] [ O Livro da Bicicleta ] [ testemunhos ]

Há pouco mais de 6 anos realizou-se o primeiro evento Lisbon Cycle Chic que organizei.

Foi talvez um dos primeiros pontos altos nesta aventura que se tornou trabalhar no mundo da mobilidade em bicicleta. Tem sido um percurso fantástico, com altos e baixos é certo, mas sem dúvida muito gratificante.

Dia 21 chega às livrarias o resultado de mais uma etapa deste percurso:

2017-07-11 17.08.39

Já se imaginou a ir para o emprego de bicicleta, enquanto sente o vento e o sol no rosto, desfruta calmamente do seu percurso, evita o trânsito caótico, poupa tempo e dinheiro em gasolina e faz muito pela sua saúde?

Pode parecer um cenário idílico, mas também difícil de concretizar pois, de repente, começa a pensar como é que vai conseguir levar os seus filhos na bicicleta, como vai fazer nos dias em que chover, como vai transportar as compras que costuma colocar na bagageira do seu carro ou como vai enfrentar aquela subida íngreme que parece impossível de vencer.

Miguel Barroso, especialista na área da Mobilidade Sustentável, prova-nos ao longo deste livro que todas estas questões podem ser facilmente resolvidas. Uns simples alforges podem solucionar o problema das compras, e uma cadeira específica, o transporte do seu filho, e vai ver que, passadas umas semanas, a subida já não é assustadora, mas apenas um pequeno declive. A chuva? Nada que um poncho impermeável não resolva, mas se vir bem não chove assim tantas vezes em Portugal. E não tem de vestir uns calções de lycra para andar de bicicleta; é perfeitamente possível vestir o seu melhor fato e pedalar até ao seu destino.

Estamos tão presos a uma lógica onde todas estas deslocações são feitas de outros modos (geralmente presos à mobilidade automóvel) que deixar os velhos hábitos nem sempre é fácil. Mas acredite que é possível e este livro vai ajudá-lo a perceber que depois de ultrapassados estes obstáculos aparentemente intransponíveis, a bicicleta vai passar a ser a sua melhor aliada.

Resumindo e baralhando: é um livro dirigido ao público em geral, com uma abordagem às questões mais práticas, mas também tentando trazer as pessoas para dentro da “cultura da bicicleta”, nas suas diversas dimensões (e ao mesmo tempo falando das questões da moblidade, ambiente, etc).

Espero que gostem!

-----------------------------

fotocycle [210] Fozquices

@ na bicicleta | 10/07/2017 às 12:00

Temas: [ fotocycle ] [ bicicultura ] [ ciclismo urbano ] [ devaneios a pedais ] [ fotografia ] [ fotopedaladas ] [ Foz ] [ motivação ] [ outras coisas ] [ passeio ] [ Porto ] [ Tripas ]

Como é costume, num sábado de manhã teria feito uma pedalada mais compridota, para treinar ou mesmo para comutar, mas não o fiz. Estava bastante nublado, chegou a chuviscar e tal… Logrei ficar a mandriar e só sai para o almoço. Os céus nunca se abriram de maneira significativa mas a necessidade de digerir o bacalhau foi a oportunidade imprevista para estender o passeio. Apontei a roda à Foz Velha e decidi percorrer ruas nunca antes pedalas. Muitos detalhes, muito paralelo e subidas empinadas. Terminei o meu pequeno passeio banhado em transpiração. O velho burgo tem muitos recantos para descobrir e ir procurá-los para fazer umas fosquices é o melhor proveito quando a preguiça toma conta do corpinho.

(foto: Rua São João da Foz)


-----------------------------

A pedalar se vai ao longe

@ Lisbon Cycle Chic | 10/07/2017 às 8:59

Temas: [ Uncategorized ] [ bicicultura ] [ O Livro da Bicicleta ]

 

A mostrar página 1 de 48 | Seguinte >>


Creative Commons License

O conteúdo deste site está sob uma licença Creative Commons BY-NC-SA.
Os direitos do conteúdo externo apresentado neste site são os definido pelos autores.
A apresentação de conteúdo externo neste site é feita com a autorização dos autores.


v16.02
Powered by HTML Purifier