ciclofilia [139] Rapha Rides Tokyo

@ na bicicleta | 5/06/2017 às 9:00

Temas: [ ciclofilia ] [ bicicultura ] [ ciclismo ] [ ciclismo urbano ] [ ciclistas no mundo ] [ coisas que vejo ] [ filme ] [ Japão ] [ motivação ] [ outras coisas ] [ partilha ] [ Rapha ] [ Tóquio ]


-----------------------------

Braga Ciclável reuniu com CDU

@ Braga Ciclável | 3/06/2017 às 15:30

Temas: [ Cronologia ] [ Fotos ] [ Notícias ] [ Opinião ] [ Autárquicas 2017 ] [ bicicletas ] [ Bicicletas partilhadas ] [ bicicultura ] [ Carlos Almeida ] [ CDU ] [ Ciclovias ] [ eleições ] [ Luís Tarroso Gomes ] [ Mário Meireles ] [ Marta Sofia Silva ] [ Proposta de Mobilidade Sustentável ] [ Rede Ciclável ] [ Rua Nova de Santa cruz ]

A Associação Braga Ciclável reuniu este sábado, dia 3 de junho, com o candidato da CDU às próximas eleições autárquicas, Carlos Almeida, para apresentação de uma proposta relacionada com a mobilidade urbana sustentável para Braga. Trata-se da segunda de uma série de reuniões que a Braga Ciclável pretende realizar, com cada uma das forças políticas que concorrem este ano para a eleição do próximo executivo municipal.

A associação esteve representada por Mário Meireles e Marta Sofia Silva (membros da Direção), e Luís Tarroso Gomes (membro do Conselho Fiscal), que entregaram pessoalmente ao candidato Carlos Almeida e à sua equipa um breve dossiê com algumas medidas de promoção da utilização da bicicleta e de melhoria da segurança para todos os utentes da via pública. Os utilizadores da bicicleta esperam assim que estas e outras medidas venham a ser incluídas no programa eleitoral deste ano.

As medidas propostas são diversas e vão desde a implementação dos 80 km de rede ciclável, já anteriormente prometidos pela CMB, até à colocação de bicicletários, a sobreelevação de todas as passadeiras para proteção dos peões, a criação de um sistema de bicicletas partilhadas, o aumento da frota de bicicletas das forças policiais da cidade, a implementação de programas municipais de incentivo do uso da bicicleta, entre outras.

Uma vez que o dossiê não havia sido entregue previamente, esperamos ainda receber uma resposta oficial da candidatura da CDU após a sua análise da proposta agora apresentada.

Entretanto, estão ainda a ser agendadas as reuniões com os candidatos da coligação PSD/CDS/PPM, bem como do PS.

Rua Nova de Santa Cruz

À margem deste tema foi ainda discutida a obra em execução na Rua Nova de Santa Cruz, local escolhido pela CDU para reunir com a Braga Ciclável. Relativamente a este assunto a Braga Ciclável mantém a opinião de que uma via ciclável segregada, neste caso, é uma armadilha e um erro técnico, uma vez que a obra que está a ser executada não pretende ter volumes e velocidades de tráfego automóvel que justifique essa segregação. Para além disso não existe, claramente, espaço físico para tal. Para além disso foi dito, na apresentação pública, que toda a rua, desde a rotunda da UM até perto da Fábrica Confiança, seria à mesma cota. Tal não se está a verificar. A Braga Ciclável mostra-se assim apreensiva e preocupada com a solução que está a ser implementada nesta rua.

Carlos Almeida, candidato da CDU ao Município de Braga, deu nota da sua preocupação com a execução desta obra que claramente não irá resolver os problemas de constrangimento causados ao transporte público pelo transporte individual, possivelmente irá agravar este problema, porque não é possível os autocarros se cruzarem naquilo que estamos a ver a ser implementado. Para além disso neste momento estamos a ver os automóveis a apoderarem-se do espaço destinado a paragens de autocarro, zonas de circulação de bicicletas e passeios, impedindo inclusive a circulação de pessoas no mesmo. Deixou ainda nota da preocupação sobre a solução encontrada para a bicicleta, que não lhe parece a correta.

-----------------------------

Congestionamento

@ Eu e as minhas bicicletas | 28/05/2017 às 21:34

Temas: [ bicicultura ]

"É que não se percebe, gastam tanto dinheiro em ciclovias para quê? Quase não há gente a usar a bicicleta... 

É só para o lazer ao fim-de-semana? É pá, vão para Monsanto ou para a beira-rio passear... agora a gastar o dinheiro de todos em ciclovias... páh...

E são uns vândalos, não param nos semáforos, não respeitam nada!"

1.png

2.png

3.png

(filmagem na passada sexta dia 26 às 9h30... commuting!)


-----------------------------

Audácia

@ Braga Ciclável | 27/05/2017 às 13:45

Temas: [ Opinião ] [ Audácia ] [ bicicletas ] [ bicicultura ] [ Braga ] [ cidade ] [ Diário do Minho ] [ Marta Sofia Silva ] [ ruas ] [ WRC ]

No que a mim me toca, os meus sinceros parabéns à Câmara de Braga, pelo arrojo em trazer até à cidade a Braga Street Stage, uma prova urbana do desporto automóvel, inserida na passagem por Portugal do WRC – World Rally Championship. Polémicas, inconvenientes e discussões à parte, há que admitir que alterar o normal decorrer da vida do centro de uma cidade com a dimensão de Braga, com alteração/proibição da circulação em algumas artérias principais e pontos nevrálgicos de distribuição automóvel e pedonal, em nome da projeção internacional da cidade e da paixão pelo desporto automóvel, requer uma certa dose de atrevimento. Se por um lado, confesso não ser a maior apreciadora do desporto automóvel, por outro aprecio uma certa dose de audácia.

E se é da audácia do executivo que falamos, mantenho a esperança de que ela não seja sol de pouca dura e apenas focalizada em certos assuntos e interesses de alguns. Que a audácia se mantenha, entre outras matérias, na questão da mobilidade. Se houve coragem por parte da CMB ao afirmar as intenções (realistas ou não) de, até 2025, reduzir em 25% a taxa de utilização automóvel e construir 76 kms de pistas cicláveis ao serviço daqueles que preveem ser 18 mil utilizadores de bicicleta, que haja audácia na prossecução desta mesma intenção.

Se efetivamente o executivo camarário pretende cumprir o objetivo de redução da taxa de motorização, são necessárias medidas eficazes e urgentes. É premente formar e sensibilizar os cidadãos para os benefícios da mobilidade sustentável, para a existência de meios de deslocação alternativos em trajetos rápidos e para a sua contribuição na rentabilização da relação tempo-custo.

A proposta-teste da CMB em desacelerar o centro pela sobreelevação das passagens para peões e pelo estreitamento do espaço de circulação automóvel começou recentemente numa artéria de grande tráfego de Braga. Se é precisa audácia para dar esse passo? Diria que sim, mas é necessária uma dose bem maior para o estender ao restante centro da cidade.

E que ela não lhes falte… porque a sorte protege os audazes!

-----------------------------

Incompetentes...

@ Eu e as minhas bicicletas | 25/05/2017 às 21:16

Temas: [ bicicultura ]

Agora que a obra onde esta senhora teve de empurrar o carrinho de bebé na estrada (na Estrada da Outurela) por falta de passeios está quase concluída vamos tentar descortinar o que queria o Presidente da Junta e o atual Presidente da Camara quando indicam que vão ser feitas obras de melhorias que também incidem sobre os peões...

outurela3.jpg

Dizia a nóticia da obra:

«Reordenamento viário da Estrada da Outurela (troço entre rotunda do Cemitério e rotunda das sicas), incluindo criação de rotunda no entroncamento da Rua Fernão Lopes e alteração de separadores centrais, repavimentação da faixa de rodagem e passeios, aumento de lugares de estacionamento no sentido ascendente da via, alteração da iluminação pública, beneficiação pontual da drenagem pluvial e execução da sinalização horizontal e vertical.
De modo a que se permita algum estacionamento, adequando a sinalização face aos entroncamentos existentes ao longo da estrada, sendo os seguintes prazos (...)»

Então hoje passei lá e a obra está assim:



Pois... legalizaram o estacionamento que era até há pouco ilegal mas que as autoridades tapavam os olhos e os passeio... bem o passeio continua diminuto e com obstáculos que vão continuar a impedir aquela senhora de locomover-se com o seu carrinho de bebé em segurança...

E porquê? Para garantir que há lugares para estacionar os automóveis no espaço público e de forma gratuita...

Merda de autarcas que Oeiras tem!

-----------------------------

Braga Ciclável reuniu com Bloco de Esquerda

@ Braga Ciclável | 25/05/2017 às 7:53

Temas: [ Cronologia ] [ Fotos ] [ Notícias ] [ Antony Gonçalves ] [ Autárquicas 2017 ] [ Bicicletas partilhadas ] [ bicicultura ] [ bloco de esquerda ] [ ciclopatrulha ] [ Ciclovias ] [ eleições ] [ estacionamentos ] [ José Ribeiro ] [ Mário Meireles ] [ passadeiras ] [ Paula Nogueira ] [ Proposta de Mobilidade Sustentável ] [ Rede Ciclável ] [ Victor Domingos ]

A Associação Braga Ciclável reuniu esta esta 4ª feira, dia 24 de maio, com a candidata do Bloco de Esquerda às próximas eleições autárquicas, Paula Nogueira, para apresentação de uma proposta relacionada com a mobilidade urbana sustentável para Braga. Trata-se da primeira de uma série de reuniões que a Braga Ciclável pretende realizar, com cada uma das forças políticas que concorrem este ano para a eleição do próximo executivo municipal.

A associação esteve representada por Mário Meireles e Victor Domingos (membros da Direção), e Antony Gonçalves (membro do Conselho Fiscal), que entregaram pessoalmente à candidata Paula Nogueira e à sua equipa um breve dossiê com algumas medidas de promoção da utilização da bicicleta e de melhoria da segurança para todos os utentes da via pública. Os utilizadores da bicicleta esperam assim que estas e outras medidas venham a ser incluídas no programa eleitoral deste ano.

Braga Ciclável reune com Paula Nogueira, candidata do Bloco de Esquerda

As medidas propostas são diversas e vão desde a implementação dos 80 km de rede ciclável, já anteriormente prometidos pela CMB, até à colocação de bicicletários, a sobreelevação de todas as passadeiras para proteção dos peões, a criação de um sistema de bicicletas partilhadas, o aumento da frota de bicicletas das forças policiais da cidade, a implementação de programas municipais de incentivo do uso da bicicleta, entre outras.

Uma vez que o dossiê não havia sido entregue previamente, esperamos ainda receber uma resposta oficial da candidatura do Bloco de Esquerda após a sua análise da proposta agora apresentada.

Entretanto, estão ainda a ser agendadas as reuniões com os candidatos das coligações CDU e PSD/CDS/PPM, bem como do PS.

-----------------------------

Autoridades Século XXI

@ Eu e as minhas bicicletas | 17/05/2017 às 22:45

Temas: [ bicicultura ]

Hoje pela primeira vez vi elementos da PSP a circularem a fazerem as suas "rondas" de bicicleta sem ser nas praias e em festivais e afins.

Foi mesmo no meu commute matinal que passei por dois agentes da PSP vestidos com a indumentária obrigatória para o uso de bicicleta (que é impeditivo de o fazerem no tempo frio, por muito que se queira não estou a ver no inverno trajar de calções) e estavam no meio de uma localidade.

Assim dão o exemplo e ajudam a mudar mentalidades.
Um grande bem-haja à PSP e aos seus dirigentes.

1.jpg

2.jpg

Esta mesma PSP também tem recebido inúmeras denúncias minhas de várias manobras perigosas de automobilistas que sem qualquer respeito e noção tem atentado contra a minhs segurança na via pública. Algumas dessas queixas tem resultado em autos de contra-ordenação.

Tenho usado esta minuta da MUBi e enviado com os respectivos videos e fotos que mostram bem visível as matrículas dos infratores.
http://mubi.pt/2016/10/04/minuta-para-queixa-de-infracoes-de-transito/





Ah e tal mas isso das camaras são muito caras e não sei o quê... Comprei uma destas por 19€.
http://www.gearbest.com/action-cameras/pp_181894.html?wid=21

-----------------------------

Pela Via Verde de la Subbetica (del Aceite)

@ VELOCIPEDI@ | 3/05/2017 às 16:17

Temas: [ Bicicultura ]

sem%2Bnome.png
Castelo de Zuheros

A Via Verde de la Subbética é agora parte da grande Via Verde del Aceite que percorre 128 kms. entre as províncias de Jaén e Córdova por um traçado bem mediterrânico onde a maior mancha de olival do mundo não cessa de nos acompanhar seguindo o traçado do antigo Tren del Aceite e naquela que se tornou na maior Via Verde da Andaluzia.

Foi este o desafio proposto a mim próprio percorrendo um troço da mesma designadamente entre os kms. 100 e 65 e retorno (Lucena - Luque - Lucena) pelas serras Subbeticas e o seu Parque Natural.

Do percurso efetuado merecem um destaque os povoados de Luque, Zuheros, Doña Mencía, Cabra e Lucena todos com os seus castelos e os magníficos e impressivos viadutos metálicos que se constituem como pontos obrigatórios de paragem e contemplação.

Nota para o excelente aproveitamento turístico das antigas estações ferroviárias onde se podem encontrar desde postos de descanso a restaurantes e até um museu temático do Tren del Aceite  na estação de Cabra.

Tal era a afluência de pessoas que se encontravam cheios. Como Deus escreve sempre por linhas tortas tal facto obrigou-me a vencer a insana ascensão a Zuheros e entrar num paraíso perdido naquele que é um dos "57 pueblos mas bonitos de España". A beleza e o ambiente no local a fazerem esquecer, como que por milagre, a dolorosa ascensão.


-----------------------------

Passeio de bicicleta pela ecopista de Évora

@ Viagens a Pedal | 25/04/2017 às 23:19

Temas: [ campismo ] [ Famílias e crianças ] [ férias ] [ Multimodalidade ] [ relatos ] [ rotas e destinos ] [ vídeos ] [ bicicultura ] [ comboio ] [ crianças ] [ ecopistas ] [ Évora ] [ famílias ] [ multimodalidade ] [ viagens ]

Aproveitámos a pausa da Páscoa para ir dar um passeio de bicicleta pela ecopista de Évora:

A equipa desta escapadinha era pequena (e boa!), 3 adultos, 2 crianças (8 e 11 anos) e 1 cão.

Porquê Évora para uma ciclo-escapadinha?

Queríamos ir conhecer mais uma ecopista (porque é sempre fixe, claro, e também para a incluir num dos passeios da Escola de Bicicleta da Cenas a Pedal), e a escolha recaíu sobre a de Évora porque:

Assim conseguimos um bom equilíbrio entre tempo e custo de deslocação e tempo de usufruto no local, para um orçamento de 3 dias.

A viagem de comboio

Para nós a viagem começou em Santa Apolónia, onde apanhámos um Urbano para a estação de Oriente – o bilhete do Intercidades permite fazer esta viagem gratuitamente por isso comprámos logo os bilhetes em Santa Apolónia.

A linha do Intercidades para Évora não tem ganchos para levar as bicicletas, pelo que tivémos que semi-desmontá-las e embalá-las (como fizémos na viagem para a ecopista do Dão). Isto acrescenta mais uns 45 min de preparação descontraída (30 a acelerar!) para embarcar e depois, uma vez desembarcados, outros 45 min para zarpar.

Para a próxima perguntaremos ao revisor se podemos pô-las na carruagem-bar, desactivada nesta linha, assim poupamos hora e meia de descarrega-desmonta-embala-desembala-monta-carrega – grande dica (a posteriori!) do Gonçalo P. da Cicloriente).

A estadia em Évora

Em Évora, e depois da tal logística, arrancámos da estação para o parque de campismo, onde montámos campo e almoçámos. Depois de uma soneca fomos dar uma volta pela cidade, e passar no supermercado a abastecermo-nos do que faltava.

No dia seguinte, levantámo-nos nas calmas e arrancámos para um passeio pela ecopista.  A entrada da ecopista é super-discreta, e não digo isto como um elogio, aquilo merecia um pouco mais de destaque!

Passeio de bicicleta pela ecopista de Évora

A primeira parte, mais na malha urbana, é pavimentada. Depois entramos no campo! 🙂 É aqui que começamos a ter a ecopista só para nós. Pelo caminho encontrámos cavalos, ovelhas e vacas.

Parámos para almoçar quando encontrámos um sítio à sombra e com espaço para estendermos as mantas. Isto é algo que poderia ser melhorado, haver espaços para descansar, à sombra, a intervalos regulares, e devidamente mapeados. Depois voltámos para trás, para garantir que toda a gente do grupo tinha energia para voltar à base. 😉 Ficou muita ecopista por conhecer, dá para encher outra visita.

No dia seguinte ficámos pelo parque de campismo, na piscina, a ler, a brincar, e a levantar e arrumar o estaminé para arrancarmos no comboio das 17h.

O equipamento

O Bruno levou a Surly LHT em vez da Big Dummy porque esta última não caberia no Intercidades. Assim, o transporte da Mutthilda foi novamente o cesto (ela parece dar-se melhor com a caixa transportadora presa ao deck da longtail, mas temos que nos adaptar!). Eu levei a minha LHT também, e experimentei um novo suporte dianteiro, mas o júri ainda está em deliberação – o lowrider é capaz de ser melhor para esta aplicação, peso fica mais em baixo e isso pareceu fazer diferença. O Rui levou a Dahon (dobrável) com o atrelado/trolley Burley Travoy para a carga, o que permitiu levar o equipamento e bagagem de toda a gente numa só carruagem do comboio.

Correu tudo lindamente, apanhámos um tempo fantástico, a ecopista valeu bem o dia. Foi uma bela escapadinha!

Todas as fotos aqui.

O conteúdo Passeio de bicicleta pela ecopista de Évora aparece primeiro em Viagens a Pedal.

-----------------------------

Dar A Volta (ao uso da bicicleta)

@ Lisbon Cycle Chic | 24/04/2017 às 11:02

Temas: [ Uncategorized ] [ bicicleta ] [ bicicultura ] [ Cycle Chic ] [ Dar A Volta ] [ Parceria ]

Aproveitando o mote dos 90 anos da Volta a Portugal em Bicicleta, surge esta iniciativa fantástica de repetir o percurso original, com o objectivo de promover a bicicleta como meio de transporte. Mas esperem lá, a volta não é um evento desportivo? E não continua a acontecer todos os anos, com centenas de atletas todos equipados da cabeça aos pés? o que é que isso tem a ver com Cycle Chic?

O meu apoio a esta iniciativa percebe-se neste texto:

O Objectivo

Implementar o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal.
Promover a atividade física e a saúde através do incremento da mobilidade ativa.
Criar a referência para uma grande rota nacional e internacional de turismo ativo contribuindo para o desenvolvimento do país e promoção da coesão territorial e social.
Promover a intermodalidade de transportes públicos e bicicleta.

 

Ou seja, 1927 a volta era para atletas, em 2017 é para todos! Dividida em 18 etapas diferentes, esta volta é para ser feita com calma. Em 18 dias diferentes e bem separados, com muito descanso e sem pressas.

Começa já esta quarta-feira, dia 26 de Abril. Vamos “dar a volta”?

 

A mostrar página 2 de 48 | << Anterior Seguinte >>


Creative Commons License

O conteúdo deste site está sob uma licença Creative Commons BY-NC-SA.
Os direitos do conteúdo externo apresentado neste site são os definido pelos autores.
A apresentação de conteúdo externo neste site é feita com a autorização dos autores.


v16.02
Powered by HTML Purifier