ciclofilia [116] andar en bicicleta

paulofski @ na bicicleta | 21/07/2014 às 14:21

Temas: [ ciclofilia ] [ bicicultura ] [ ciclistas no mundo ] [ coisas que vejo ] [ filme ] [ motivação ] [ outras coisas ]


-----------------------------

ao sabor do Marés

paulofski @ na bicicleta | 18/07/2014 às 7:52

Temas: [ motivação ] [ bicicultura ] [ bike to party ] [ fotografia ] [ Gaia ] [ mobilidade ]

Marés VivasO Marés Vivas começou ontem e dura até à madrugada de Sábado, nos palcos montados junto à praia do Cabedelo em Gaia e, é claro,  a bicicleta leva-nos mesmo à porta. :)

Marés Vivas

 


-----------------------------

fotocycle [138] a ponte é uma miragem

paulofski @ na bicicleta | 17/07/2014 às 9:39

Temas: [ fotocycle ] [ bicicultura ] [ bike to home ] [ Douro ] [ fotografia ] [ fotopedaladas ] [ Gaia ] [ Gorka ] [ longas pedaladas ] [ motivação ] [ Porto ]

a ponte é uma miragem


-----------------------------

northroad…

paulofski @ na bicicleta | 16/07/2014 às 11:00

Temas: [ fotografia ] [ até à Madalena ] [ bicicultura ] [ bike rent ] [ devaneios a pedais ] [ e-bikes ] [ fotopedaladas ] [ Gorka ] [ motivação ] [ passe a publicidade ] [ Porto ]

… numa espécie de #fotocycle e #passe a publicidade, mais uma novidade no Porto.

NorthRoad 2 NorthRoad 1 NorthRoad 3


-----------------------------

can’t miss [103] p3.publico.pt

paulofski @ na bicicleta | 14/07/2014 às 7:45

Temas: [ can't miss it ] [ bicicultura ] [ ciclismo urbano ] [ coisas que leio ] [ Lisboa ] [ mobilidade ] [ motivação ] [ outras coisas ] [ sexta de bicicleta ] [ testemunho ]

A Sexta de Bicicleta de Luísa Magalhães

Luisa Magalhaes
“Anda de bicicleta desde miúda mas começou a usá-la como meio de transporte para ir trabalhar há pouco tempo. A engenheira Ana Magalhães aconselha a prática a todos

O que tens a dizer a quem diz que andar de bicicleta na sua cidade é impossível?

A minha cidade é o Porto, mas já vivo em Lisboa há dez anos e estas aventuras de andar de bicicleta na cidade começaram em Lisboa. Acho que com calma e estudando bem os percursos, sabendo quais os transportes públicos que se podem utilizar, é fácil de andar de bicicleta em qualquer cidade. Andar de bicicleta é a melhor forma de conhecermos as cidades. Dá-nos uma maior percepção e visão daquilo que nos rodeia, podemos apreciar pequenas coisas… a paisagem, as pessoas os cheiros, etc. Custa é começar, depois é um vício…”

(lê este magnífico testemunho aqui)


-----------------------------

As bicicletas em contexto urbano – ponto da situação (RTP)

ricardocruz @ Bicla no Porto | 12/07/2014 às 18:55

Temas: [ bicicultura ] [ cidade ] [ Ciclismo urbano ] [ RTP ]

Fonte: RTP
-----------------------------

uma bicicleta é uma bicicleta

paulofski @ na bicicleta | 11/07/2014 às 14:51

Temas: [ ele há coisas! ] [ bicicultura ] [ coisas que leio ] [ Gorka ] [ motivação ] [ opinião ] [ outras coisas ] [ penso eu de que... ]

Leio no pedais.pt: “UE impede redução de IVA nas bicicletas”! Acorrentando-se em caducos argumentos de ordem burocrático/legislativa da UE, a Comissão para a Reforma da Fiscalidade Verde acrescenta fundamentações no mínimo estranhas, para não dizer ridículas, para rejeitar a proposta de redução do IVA na aquisição de bicicletas como forma de incentivar as pessoas ao recurso a um transporte sustentável e não poluente.

“Tendo em conta a impossibilidade de ser introduzida uma taxa reduzida de IVA para a comercialização de bicicletas, devido às limitações introduzidas pelo direito da União Europeia, qualquer intervenção direta nacional nesta matéria terá que se operar através de uma alteração introduzida em sede da tributação do rendimento”, lê-se no texto.

Leio também que, “outra dificuldade que aquele organismo levanta para aplicação de eventuais benefícios fiscais para quem compre um velocípede é a necessidade de distinguir se a bicicleta se destina ao uso diário como meio de transporte ou para praticar desporto ou passear, já que nesse segundo caso são “menos intensas as vantagens ambientais gerais”.!!!”

Meus senhores, uma bicicleta é uma bicicleta, e pronto. Um velocípede é um veículo de duas (ou mais) rodas presas a um quadro, movido pelo esforço do próprio utilizador através de pedais. Um veículo zero emissões, considerado o meio de transporte mais utilizado no mundo. Acho que estes considerandos são mais que suficientes para que se alivie a carga fiscal sobre as bicicletas, quaisquer que seja a finalidade a que se destina a utilização da coisa.

gOrka

gOrka, a minha bicla”desportiva moderna” que me transporta para onde eu bem quero: para o trabalho, para a minha casa, casa paterna, casa da sogra, casa da aldeia…

Eu, que sempre gosto de aliar o útil ao agradável, mesmo que equipado de roupa desportiva, confortável e adequada à prática do ciclismo, no caso usar uma das minhas bicicletas de estrada como meio de transporte rápido, seria obrigado a exclui-las porque supostamente são desportivas e como tal não são de uso diário ou como meio de transporte?! Ou no caso de ter uma pasteleira guardada na garagem não a poderia utilizar para passear ou praticar desporto?! Não faz sentido. A bicicleta não é um veículo a motor, pesado de mercadorias ou máquina agrícola. Não tem cavalos potência, tara, ou cilindrada. Pura e simplesmente a bicicleta deveria ser isenta de qualquer tributação e ponto final.

de Cósmica para o trabalho

Cósmica, a minha bicla “desportiva vintage” que me transporta para onde eu bem quero: para o trabalho, para casa, às compras… para todo o lado!


-----------------------------

euronews da cic(l)omunidade

paulofski @ na bicicleta | 10/07/2014 às 8:58

Temas: [ divulgação ] [ Alemanha ] [ bicicultura ] [ cargo bikes ] [ coisas que leio ] [ Copenhaga ] [ mobilidade ] [ motivação ] [ noticia ] [ outras coisas ]

Quer andar de bicicleta? O Fisco pode dar-lhe um empurrão

observador“A introdução de incentivos fiscais à aquisição de bicicletas pode vir a ser uma realidade em Portugal. Basta que o Governo decida adotar uma das 40 medidas que são propostas no “anteprojeto de reforma da fiscalidade verde” elaborado pela comissão que foi nomeada pelo ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, e pelo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, com o objetivo de estudar e propor normas tributárias que desincentivem as emissões de gases com efeito de estufa.

O documento, que foi apresentado na quarta-feira aos jornalistas por Jorge Vasconcelos, presidente da Comissão para a Reforma da Fiscalidade Verde, e que estará em discussão pública até 15 de agosto, assinala que “não vigora no sistema (…) português qualquer incentivo fiscal à aquisição de bicicletas, quer em sede de tributação do rendimento quer de tributação do consumo”. E acrescenta que, perante as limitações impostas pela legislação da União Europeia à possibilidade de introdução de uma “taxa reduzida de IVA para a comercialização de bicicletas”, uma intervenção neste terreno terá de ser feita por via de alterações aos impostos sobre o rendimento.”…

(ler artigo completo aqui)

Copenhaga: taxa de utilização da bicicleta passou de 36% para 41% em apenas um ano

Copenhaga“Em apenas um ano – de 2012 para 2013 – a taxa de utilização da bicicleta como meio de transporte em Copenhaga, na Dinamarca, aumentou 5%. Depois de anos de estabilidade na taxa de utilização do veículo, verificou-se um aumento de 36% para 41%, naquela que é uma das cidades com maior taxa de utilização da bicicleta como veículo de locomoção.

Mas o que é que causou este aumento considerável, mesmo para uma cidade onde a bicicleta já é muito utilizada? Não está totalmente comprovado, mas a prova mais óbvia para este aumento de 5% é a construção de um novo metro na cidade, cujas obras decorrem em 17 locais diferentes e tornaram a condução dentro da cidade uma tarefa hercúlea, refere oTree Hugger.

Como tal, os dinamarqueses optaram por utilizar ainda mais a bicicleta, já que os 17 pontos de construção aboliram grande parte do espaço rodoviário destinado aos carros. Prevê-se que quando a construção do novo metro terminar, a taxa de utilização da bicicleta volte a descer, mas pelo menos os habitantes de Copenhaga vão ter um novo metro, que podem utilizar em alternativa ao carro.”

(ler artigo aqui)

Alemanha volta a usar bicicletas de carga

bicicleta carga“O Governo Alemão pretende voltar a usar bicicletas de carga para percursos inferiores a dez quilómetros. Brigitta Worringen, porta-voz do Ministério dos Transportes, explicou recentemente que três quartos das viagens realizadas naquele país correspondem a trajetos com menos de dez quilómetros, concluindo que as bicicletas de carga podem entregar todo o tipo de encomendas. Para além disso, “é um bom meio de transporte que não faz barulho nem polui”, acrescenta.

O plano para fazer renascer a bicicleta de carga já está em marcha. No ano passado Hamburgo acolheu uma conferência dedicada ao tema. A ideia tem recebido interesse de empresas privadas que já estão a usar este meio de transporte. Entre estas empresas está a UPS que utiliza a bicicleta para cargas mais leves e de menor volume, em sei cidades alemãs.

Este projeto surge no âmbito das políticas ecológicas que o executivo alemão tem vindo a concretizar. Com o objetivo de diminuir o nível de emissões de dióxido de carbono tem havido uma maior promoção e utilização tanto de energia alternativas, como a solar, ou, na área da mobilidade, o carsharing surge também como resposta. As bicicletas não foram esquecidas, contando com um investimento de 80 milhões de euros anuais para apoios e infraestruturas, previsto no plano de sustentabilidade.”

(ler artigo aqui)


-----------------------------

tertúlia Mobilidade Urbana no Porto

paulofski @ na bicicleta | 9/07/2014 às 7:34

Temas: [ divulgação ] [ bicicultura ] [ ciclismo urbano ] [ ciclistas urbanos do Porto ] [ mobilidade ] [ motivação ] [ outras coisas ] [ partilha ] [ Porto ]

Cidade +
10 de julho – 18h00 – 20h00 | 
LocalLAB+ (Pavilhão Rosa Mota)

Tema: Mobilidade Urbana

O uso de mobilidade suave como meio principal de deslocação na cidade é cada vez mais visível. Esta tendência tem sido acompanhada por nova regulamentação no uso da via pública para ciclistas, skaters, longboarders e outros. A alteração mais recente ao código da estrada reviu várias normas relativas a velocípedes, e as autarquias têm demonstrado não só interesse crescente mas também acções concretas no sentido de colmatar necessidades infra-estruturais. Nem sempre esta evolução se faz à velocidade desejada e o utilizador será sempre o primeiro impulsionador da mudança. A vida destes utilizadores é tocada por estas questões-chave e outras, como: que comportamento ter na estrada, dicas para a chuva e as diversas formas de convívio que o seu meio de transporte promove.

Intervenientes:

Tiago Carvalho – SEA / FPCUP / Jornal Pedal
Fátima Costa - Banco de Bicicletas
João Pinto -  Porto Longboard e Cactus
Telmo Carvalho – Rawling Crew
Ricardo Cruz – MUBi | Associação para a Mobilidade Urbana em Bicicleta

Apresentação e Moderação:
Bernardo Santos [Designer e Ciclista Urbano]

Palácio Cristalcopy/paste via MUBI


-----------------------------

Cidade+ – Mobilidade Urbana – Conferência

ricardocruz @ Bicla no Porto | 9/07/2014 às 0:00

Temas: [ Ativismo ] [ Conferências ] [ bicicultura ] [ Cidade+ ] [ conferências ] [ MUBi ]

10 de julho – 18h00 – 20h00 | Local: LAB+ (Pavilhão Rosa Mota) Tema: Mobilidade Urbana As fotos (Fonte: Cidade +): O uso de mobilidade suave como meio principal de deslocação na cidade é cada vez mais visível. Esta tendência tem sido acompanhada por … Continuar a ler
A mostrar posts 1 a 10 de 502 | « Anteriores | Próximos » | 5, 10, ou 20 de cada vez.


Creative Commons License

O conteúdo deste site está sob uma licença Creative Commons BY-NC-SA.
Os direitos do conteúdo externo apresentado neste site são os definido pelos autores.
A apresentação de conteúdo externo neste site é feita com a autorização dos autores.

:-}
v13.09
Powered by HTML Purifier